Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Apresentação

por Reitoria | publicado 19/08/2014 09h56 | última modificação 06/12/2018 09h44

As equipes gestoras e pedagógicas do IFTM discutem sobre a problemática da evasão já há algum tempo, por meio de reuniões, estudos e realização de eventos. Em 2010 e 2011 foram realizados, respectivamente, o I e II Fóruns de Gestores do Ensino e Equipes Pedagógicas do IFTM, nos quais foram discutidas ações para o acompanhamento dos índices de conclusão, retenção e evasão deste Instituto.

Posteriormente, em 2013, o projeto “Um estudo sobre a evasão nos cursos presenciais do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro – IFTM” foi elaborado como parte de um conjunto de ações para amenizar o problema da evasão no IFTM.

Este projeto contemplava três momentos: o levantamento do quantitativo de alunos evadidos, a pesquisa das causas e motivos da evasão e, finalmente, a implantação de ações efetivas concernentes à busca da permanência e do sucesso dos estudantes. Trazia como objetivo geral mapear as causas que levaram os alunos do IFTM a evadirem e, além disso, favorecer a proposição de ações para a redução do índice de evasão.

Os objetivos específicos buscados foram os de instituir um grupo de estudos sobre a temática “evasão”; identificar o número de alunos evadidos em cada curso no ano de 2012; aplicar o questionário aos alunos evadidos; analisar os dados levantados e propor a implantação de ações afins.

Na coleta dos dados foram utilizados formulários do Google constituídos de 30 questões.

A análise geral dos resultados do projeto apontou que 167 evadidos responderam ao questionário proposto. Essa amostra concentrou-se nos três primeiros períodos de integralização, nos cursos de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas e Técnico em Eletrônica Concomitante ao Ensino Médio.

Entre os fatores de ordem institucional sobressaíram o excesso de atividades e da carga horária de aulas. Entre os fatores individuais citaram o desinteresse profissional pelo curso escolhido; a indisponibilidade e incompatibilidade de tempo para estudar; as reprovações; as dificuldades em associar teoria com a prática e em acompanhar os conteúdos.

Os dados levantados nessa pesquisa subsidiaram a implantação de algumas ações na instituição, as quais não constaram de verificação direta quanto aos indicadores institucionais, contudo, foram imprescindíveis para a incorporação da questão no Plano de Desenvolvimento Institucional - PDI 2014 - 2018 (http://www.iftm.edu.br/pdi/arquivos/pdi.pdf), pág. 27, por meio do objetivo estratégico, nº 4, o de "reduzir as taxas de evasão e retenção", a ser assegurado por meio de três (3) metas:

  1. 1. reduzir o nível de evasão para 15% em 2018;
  2. 2. atingir taxa de retenção máxima de 10% em cada componente curricular até 2018;
  3. 3. atingir índice de eficácia institucional de 80% até 2018.

Quanto ao grupo de estudos, inicialmente criado na Pró-Reitoria de Ensino, foi posteriormente cadastrado no CNPq, o "Grupo de Estudos e Pesquisas em Políticas e Fundamentos da Educação - GEPPFE", considerando as publicações e apresentações em eventos nacionais e internacionais.

Em 2014, o projeto passou por reformulações, sobretudo quanto ao instrumento para a coleta de dados. Na mesma ocasião, os dirigentes deste Instituto foram informados que a SETEC/MEC apresentaria em breve uma proposta uniforme de acompanhamento à evasão que nortearia toda a Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica.

Nessa perspectiva, a equipe PROEN fez parte do Grupo de Trabalho "Evasão, Retenção e Assistência Estudantil na Rede Federal", constituído pela Portaria SETEC/MEC nº. 39, de 22 de novembro de 2013, que foi uma iniciativa da Diretoria de Políticas de Educação Profissional e Tecnológica da SETEC/MEC, designada em atendimento ao Plano de Ação entregue ao Tribunal de Contas da União (TCU), referente ao Acórdão 506/2013. Os objetivos deste GT à época foram a "elaboração do relatório dos índices de evasão, retenção e conclusão desagregados para diferentes modalidades de cursos e do Manual de orientação para o combate à evasão nas instituições pertencentes à Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica", trabalho finalizado em 2014.

Posteriormente, no ano de 2015, o Ofício Circular nº 60/2015 DDR/SETEC/MEC, a Nota Informativa 138/2015/DPE/DDR/SETEC/MEC, bem como outras comunicações oficiais regulamentaram a elaboração dos Planos Estratégicos de Permanência e Êxito dos Estudantes.

Dessa forma, buscou-se implementar uma proposta de acompanhamento aos índices de conclusão, permanência, retenção e evasão em toda a Rede de Educação Profissional e Tecnológica, seguindo orientações definidas por cada instituição mas, em consonância ao proposto pela SETEC.

Nesse contexto, esse Plano Estratégico visa ao acompanhamento dos indicadores de conclusão, permanência, retenção e evasão, tendo por objetivo a elaboração de um diagnóstico, com base nos dados institucionais, favorecendo a criação e o fortalecimento de uma política institucional de acompanhamento sistemático de permanência e de sucesso dos estudantes do IFTM.

No âmbito institucional, a temática encontra-se sob a responsabilidade da Pró-Reitoria de Ensino, articulada com as demais pró-reitorias e em sintonia com os campi, principais responsáveis pelas proposições e sucesso nos resultados.

A partir do que foi proposto neste Plano e da continuidade de ações já desenvolvidas nesta instituição, foi criado o “Programa Permanência e Êxito dos Estudantes do IFTM”.

Fim do conteúdo da página